Arquivo da tag: diogo flórez

Sertanília.

Sertanília

Foto: Léo Monteiro

Sertanília é:

  • Aiace Felix (vocalista)
  • Anderson Cunha (viola)
  • Diogo Flórez (percussão)

Gravaram um CD promocional, em 2011 (download aqui).

Vídeo de lançamento do primeiro CD da banda Sertanília pela Compacto.REC.
Filmagem: Léo, Andreza e Mila
Edição: Maurício Lídio
Produção Executiva: Mila Barros

Atualmente estão gravando o primeiro disco, através do FazCultura e Conexão Vivo, que trará participações ilustres: Xangai, Bule-Bule e Terno de Reis do Riacho da Vaca.

Gravado em Itapipoca (CE), durante a 1ª turnê Nordeste do grupo, dentro da programação do VI Festival Rock Cordel/Projeto Arte Retirante na Casa de Teatro Dona Zefinha.

Incendeia (Anderson Cunha)

Mato seco e papel pra queimar
Bota fogo no céu: lua cheia
Acende o carrossel pra rodar
Incendeia
Menina bonita, flor da madrugada
Tá chovendo estrela ô menina
Da saia rendada
Vestido de xita colorindo a estrada
Me caso c’ocê ô menina
Na lua enfeitada
Lagoa de terra no chão retaiada
Risco de peixeira ô menina
Da mão encantada
Passarim na serra faz arrevoada
Cantano procê ô menina
Moça apaixonada
Todo amor desse mundo
Pulsando no mesmo segundo
Pra fazer chover
Um balaio de gente toda diferente
Cantando pra um novo tempo
Acontecer

“Candeeiro Encantado” (Lenine/Paulo César Pinheiro). Gravado no show realizado em Fortaleza (CE) durante a 1ª turnê Nordeste e dentro da programação do VI Festival Rock Cordel no Centro Cultural Dragão do Mar/Espaço Rogaciano Leite.

Vídeo: Léo Monteiro Studio
Participação especial de Pietro Leal (Pirigulino Babilake). No Cabaré dos Novos, do Teatro Vila Velha, 01/09/2011.

Ciranda do Fim do Mundo (Anderson Cunha/Juliano Holanda)

Vídeo: Léo Monteiro Studio
“Eu” (poema de Florbela Espanca), musicado por Xangai, com arranjo da Sertanília. No Cabaré dos Novos, do Teatro Vila Velha, 01/09/2011. Participação Especial de Xangai.


“Eu”, executada em homenagem a Portugal nas apresentações de Coimbra e Lisboa em setembro/2010.

Vídeo: Léo Monteiro Studio
No Cabaré dos Novos, do Teatro Vila Velha, 01/09/2011.

Tempo de Sereno (Anderson Cunha)

Ah! Mainha avisou
Tempo de sereno
É pra homem sonhador
Passarinho cantou
Moça abandonada
Encontrou novo amor
Pra seu companheiro, ai, ai
Contra o mundo inteiro
Feito Conselheiro
Sem medo de nada
Chão que a terra rachou
Ponta de riacho
Que o tempo secou
Rosa tornou-se flor
Choro de alegria
No meio da dor
De ter seu menino, ai, ai
Pra viver sem destino
Feito Virgulino
Pego de emboscada
Enquanto o céu não vem
Certeza tem pra mais ninguém
Enquanto o céu não vem
Ancorar a estrada

“Areia do Mar” e “Sambada de Reis” (Anderson Cunha), Festival Tensamba em Madrid (Espanha), 07 de Maio de 2011.

Sambada de Reis (Anderson Cunha)

Ô de casa, ô de fora
Chegou eu e meus companheiro
Pra saudar aqui agora
Pra sambar no seu terreiro
Deu limão no limoeiro
Na laranjeira deu flor
Deu vontade de te ver
Mas o dia se acabou
Deu saudade de você
Quando o sabiá cantou
Ô de casa, ô de for a
Chegou eu e meus companheiro
Pra saudar aqui agora
Pra sambar no seu terreiro
Do coroné o dinheiro
As terra de seu dotô
A prata e o ouro do rei
As moça cheirando a flor
Troco tudo que falei
Num poquim do seu amor

Apresentação na Noite Fora do Eixo do Coletivo Suiça Bahiana em Vitória da Conquista.

Pombinha do Céu (Anderson Cunha)

Pombinha do céu avoou
Do galho di riba d’eu
Levou alegria deixou a sodade
O bem que eu tinha se perdeu

Sodade ni mim posou
Sodade ni mim posou
Oi pisa, cartiga, machuca, sodade
Da pombinha que avoou

Pombinha do céu avoou
Mode poder cantar
Que verdadeiro amor
Não tem dono nem lar
Não carece dar nó
Nem fazer maração
Alumia de longe não importa
Onde tá o coração

Teatro Eva Herz (Livraria Cultura – Salvador Shopping). 24 de março de 2011.

Perfume de Flor (Anderson Cunha)

Um raio do céu desabou
Tão claro que valei-me Deus
Paixão avoada cegou
Levou o pensamento meu

O cheiro de tudo que é seu
Deixou um perfume de flor
E onde seu beijo bateu
Um gosto de manga ficou…. saudade

Vem me fazer sonhar 3x
Tempo leva eu
Leva eu saudade

O tempo enterra o sofrer
O vento apaga o caminhar
E a lembrança de você
Escora, mas teima em ficar
É nódoa que nunca sai
É mágoa de Lampião
É zelo de mãe e de pai
É visgo no meu coração… saudade

Amor quando é de repente, deixa marca no passado
É facão que corta rente, dor de gume apaixonado
Abre o talho da serpente, escorre o sangue do pecado

Vem me fazer sonhar 3x
Tempo leva eu
Leva eu saudade

“Assum Preto” (Luiz Gonzaga/ Humberto Teixeira). Pocketshow realizado no Teatro Eva Herz – Livraria Cultura, dentro da programação do Grito Rock Salvador organizado pelo Coletivo Quina Cultural.

Participação no Encontro de Compositores, Teatro Vila Velha. 10 de Fevereiro de 2011.

No quadro “Novos Talentos” do programa Fala Bahia (TV Salvador), 21/01/2011.

Para acompanhar e saber mais:

http://www.sertanilia.com.br
http://www.melodybox.com.br/sertanilia

Etiquetado , , , , , , , , ,

Neologia.

Neologia

Banda que teve três fases, felizmente acompanhei todas. A mais recente formada por Lívia Ferreira (voz), Bruno Balbi (guitarra), Vitor Vieira (contra-baixo) e Luciano Tucunduva (bateria).

Direção: Luciano Tucunduva
Fotografia: Tito Araújo
Color Grading: Fábio Santana
Fonograma produzido por Jorge Solovera

Poeta é Assim (Bruno Balbi/ Thiago Lobão)

Serei o seu ladrão banal
Poeta é assim meu bem
Sustenta dual

Furta a palavra
Sua a sorrir
E não há nenhum culpado

Poeta é assim meu bem
Repõe o tirado

Mas não pense que sou vilão
No fim
Talvez nao fique pra te ver corar
Enfim

Ao se ter quando ver
Tudo que roubei de nós: você

Poeta é assim meu bem
Espelha em você

Não foi agrado, nem me leve
Terá no hall um sentimento

Poeta é assim meu bem
Venta no vento

Mas não pense que sou vilão
No fim
Talvez nao fique pra te ver corar
Enfim

Por isso não imagine que me fui depressa
Quem sabe se ajeitarem os ponteiros começa
Outra vez a história refeita
Mais certa e sem defeito
Pra outra rima roubar e te dar

Sem jeito.

Direção: Marcia Tucunduva
Fotografia e Edição: Ricardo Wakabayashi
Produção: Luciano Tucunduva e Nina Fonseca

Não Negue Não (Bruno Balbi/Thiago Lobão/Vitor Vieira)

O meu olhar
guardei na sua mão
que vai pintar
um outro coração
Me diz se tempo
é quem apaga 
ou desenha você em mim?

Sou mais que flor
Cintilo pra você 
Se falta cor
espelhos vou comer
Mas não duvido
que nosso amor não há de desbotar 
Entenda!

Vejo você depois
dos olhos cansarem do dia
Beijo você em sonho
Se te olho, perco a guia
Mas não se engane, viu
Sou mais que nó e direção
Sou muito mais que uma
Sou seu sol, não negue não

Sou tropical
Pele floral
Mística flor
Cores, astros, noite, luz e calor

Sou delicada,
de luz da alvorada
Mas se não quer,
serei a minha estrada

E a brisa leve irá tocando a face amada 
e a vida.


Apresentação na Parada do Orgulho Louco 2011, no Farol da Barra.

Favela e Lar (Bruno Balbi/Thiago Lobão/Vitor Vieira)

Recontar Bahia cantando
Re-cantar o tom
Requentar dendê, atabaque
Revelar o dom
Que essa gente tem de ouvir
E viver do bom
Afoxé com acarajé inventou um som

Samba daqui
Mundo ganhou
Céu-mar-mão
Vem ver um…

Moleque correr atrás de pão e fé
Se abençoar terreiro e altar
Ver na Castro Alves recital e trio
Ser Bahia antes de falar Brasil

Tudo daqui
Convés andou
Fundou a cor 
Que é preciso pintar em todos

Mangas, fumos e cacaus
No modelo tinha
O mercado e a pescaria 
Dum sonho na linha
Patuá no humaitá marinheiro ia
Índio, preto, branco, menino, língua refazia

Samba daqui
Mundo ganhou
Fundou a cor
Que é preciso pintar em todos

Mungunzá-tupi-estrangeiro vir
Sem saber porque essa gente ri
Ser Bahia sem se des-baianizar
Ter brasil depois de a Bahia andar

Arte para todos, Favela e lar
Som de santo e de todos os orixás
Ser Bahia sem se des-baianizar
Ter Brasil depois de a Bahia ganhar.


Direção: Luciano Tucunduva
Edição: Kiko Figueiredo
Color Grading: Wilson Filho
Fotografia: Alessandro
Músico convidado: Diogo Flórez (Percussão)

Só Uma Atriz (Bruno Balbi/Thiago Lobão)

Ela chegou e roubou toda a cena naquele solar
Ela era o sol a nascer na noite a passar
E eu nem sabia que ela queria ser só uma atriz

Foi uma visão, um clarão de cores arrombando o pensar
Seu loiro cabelo oscilando no céu
Cheio de estrelas, azuis como o seu olhar
Que me entregava em silêncio melodia pro seu papel

Mas quem vai me dizer
Se era ela a fingir outro sorriso pra mim
Ou se era ela enfim
Minha espectadora afim
A adorar, me retendo pra me assistir

Mas quem vai esclarecer
Se era ela a fugir como artista que tem que partir
Ou o inicio do fim
Do espetáculo em mim
A começar me encantando pra me possuir

Me retendo pra me assistir
Me retendo pra me possuir
Me encantando pra me possuir
Ela chegou e roubou


Participação no Movimento Reciclo, da banda O Círculo, no Teatro Solar Boa Vista (20 de fevereiro de 2011).


Festival Baianada (18 de dezembro de 2010)


Berimbau (Baden Powell/ Vinícius de Moraes)


Meia Lua Inteira (Carlinhos Brown)


No programa Soterópolis (06/01/2011)


Vandex TV (2011)


Entrevista na Rádio CBN

Em 2011, participaram com outras bandas baianas do projeto A Cara e o Coração, disco com releituras de músicas de Guilherme Arantes:

14 anos

Coração fantoche

Para ouvir os áudios de “Poeta é assim”, “Favela e Lar” e “Não Negue Não” (gravação e produção: Jorge Solovera): http://www.melodybox.com.br/neologia

Bootlegs

Eclipse Oculto (Caetano Veloso), com Sílvio de Carvalho e João Victor, da Quarteto de Cinco. (ensaio)

Azul (Djavan), ensaio.

Berimbau (Baden Powell/ Vinícius de Moraes), ensaio.

Poeta é Assim (Bruno Balbi/ Thiago Lobão). Registro acústico da composição, com Bruno Balbi.

Na sua formação anterior, a Neologia era: Ian Lasserre (voz e violão), Bruno Balbi (guitarra), Vitor Vieira (contra-baixo) e Luciano Tucunduva (bateria).

Lançaram em 2010 o EP Para Vênus: Download

EP


Tropicália (Caetano Veloso)

E a formação original, com: Paulo Marques (voz, violão e guitarra), Ian Lasserre (voz e guitarra), Túlio Lima (contrabaixo), Jayro Rimbaud (percussão) e Luciano Tucunduva (bateria). Lançaram o EP de estréia Neologia em 2008:

Erro Talvez (Músico convidado: Hilário Passos, sanfona)

Ódio e Rancor

Bebê

Dionísio


Etiquetado , , , , , , , , , ,